terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

"Eu gosto dos extremos, ou tenho pouco ou tenho muito, mas nunca a metade. Saboreio tudo com muita calma, mesmo o veneno, saboreio lentamente para não morrer de imediato. Tenho pensamentos tristes que não acompanham minha vontade de sorrir, de ser feliz... Minha fé jamais foi inabalável, tanto é que me questiono se realmente a possuo. A única certeza que tenho é da certeza que não existe, é do tempo que não sei aocerto se é eterno... As incertezas são de uma vida inteira, as lutas são constantes, as tristezas aparentemente invencíveis... e tudo por mimcalculado! Uma medida certa de sofrer, uma medida certa de amar, uma medida certa de não saber ao certo calcular intensidades, sentimentos, emoções. Quando me perco, não me encontro nunca mais. Acabo em outra realidade com outro pensamento e outra maneira ainda mais intensa de ser!"

Um comentário:

Rony Phanuelly disse...

Nossa, me toquei o texto inteiro.. Sou eu escritinha!