terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Levitações.

retirado do blog: http://as-polyedro.blogspot.com/
autor: Albino Santos.



O amor levita!
Quando no corpo da ausência, sem possuir-te eu te tenha
como se fosse um corpo na sua errância,
um sulco ébrio na areia molhada;
O amor levita,
quando há olhos que ainda dormem
enquanto os dedos procuram restos de sonhos;
Quando a palavra de um poema
se liberta pelo amanhecer ao encontro do sol;
Quando os astros transbordam da sua órbita
para se acercarem da tua cintilação;
O amor levita,
quando duas bocas se encontram
na dimensão única e infinita de um bailado de estrelas…