sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

O Jardineiro

O jardineiro só colhia as rosas ao anoitecer
porque durante o sono elas não sentiam o aço frio da tesoura.
Uma noite ele sonhou que cortava as hastes de manhã,
em pleno sol, as rosas despertas e gritando
e sangrando na altura do corte das cabeças decepadas.
Quando ele acordou, viu que estava com as mãos sujas de sangue.

Lygia Fagundes Telles

2 comentários:

Theo' disse...

oi!
muito linda esse poema...

bjoo!

jacker disse...

I think I come to the right place, because for a long time do not see such a good thing the!
jordan shoes